28/04/2021 às 16h54min - Atualizada em 28/04/2021 às 16h54min

Abel Ferreira define novo lema para o Palmeiras após goleada: "Contra tudo e contra todos"

Verdão vence o Independiente del Valle e mantém 100% de aproveitamento na Libertadores

Fonte Globo Esporte
Abel Ferreira, técnico do Palmeiras — Foto: Marcos Ribolli

A goleada do Palmeiras por 5 a 0 contra o Independiente del Valle, nesta terça-feira, pela Libertadores, deixou o técnico Abel Ferreira satisfeito e com uma nova filosofia para a temporada de 2021.

Se antes o discurso do português era "todos somos um", ele afirmou em entrevista coletiva após a vitória contra os equatorianos que o momento atual será encarado pelo grupo com um novo lema.

– Este ano vou inverter o lema. Ano passado eu disse que todos somos um. Este ano vai me faltar o lema, tem que ser contra todos. Este ano, contra tudo e contra todos. Vamos procurar fazer nosso trabalho, contra tudo e contra todos. Vai ser o lema deste ano.

Antes da vitória sobre o Del Valle, o Palmeiras conviveu com pressão por causa dos maus resultados no Campeonato Paulista e das perdas dos título da Supercopa do Brasil e da Recopa Sul-Americana. Abel chegou a ser citado em uma pichação de protesto de torcedores palmeirenses.

A vitória desta terça-feira mantém o Palmeiras na liderança do Grupo A, com seis pontos e 100% de aproveitamento. O Defensa y Justicia entra em campo nesta quarta-feira, quando enfrenta o Universitario do Peru no último jogo da segunda rodada da chave.

Com uma campanha irregular no Paulistão, utilizado como preparação para a Libertadores, o Palmeiras volta a campo nesta quinta-feira para enfrentar a Inter de Limeira. Na entrevista coletiva, Abel Ferreira falou mais uma vez sobre sua dedicação na procura por vitórias.

– Eu sou feliz demais e agradeço demais por tudo que a vida me tem proporcionado. O que eu quero dizer é: ninguém, seja no Palmeiras ou onde quer que seja, quer vencer mais que eu. Nem minhas filhas eu deixo ganhar quando brincamos. Minha esposa fica chateada, mas ninguém quer ganhar mais do que eu – afirmou o treinador.

– Ano passado, contra o São Paulo, quando empatamos o jogo, falei da densidade competitiva. Não gosto de repetir muitas vezes, e eu fui muito claro contra o São Paulo. Minha função é treinar, eu sou pago para isso, não sou eu que faço os calendários, não faço os calendários para promover o jogador brasileiro e o futebol brasileiro e a seleção. Não é minha função. Mas quando você joga, e o Palmeiras é a única equipe com o calendário que tem, e depois falam que a equipe se apresentou fresca... Mas para isso, temos de usar o sub-20 no Paulista e que tem jogado muito bem, como contra o Mirassol, apesar do resultado. Logicamente que o calendário vai ter uma interferência e já tem, pelos lesionados. Queria ter o Breno, o Veron, o Mayke, mas infelizmente não temos. Mas este grupo e esta equipe técnica e este clube têm capacidade de fazer das tripas coração. A verdade é que neste momento temos seis centroavantes agora: o Newton e o Gabriel Silva, o Willian e Wesley, e o Rony e o Luiz Adriano

Link
Notícias Relacionadas »