08/04/2021 às 15h47min - Atualizada em 09/04/2021 às 20h30min

Tecnologia de vozes neurais vira tendência na produção de conteúdo

Explorando os serviços cognitivos para voz, a Prime Arte possibilita a redução de custos na produção de vídeos com roteiros personalizados

SALA DA NOTÍCIA Prime Arte
Em um mundo totalmente conectado, em que a evolução tecnológica não para um segundo, a implementação da inteligência artificial na vida cotidiana dos consumidores tornou-se natural. Uma das áreas que mais cresce é a tecnologia de voz, em especial os serviços cognitivos de vozes neurais (Neural TTS), que utilizando algoritmos de Machine Learning (Aprendizagem de Máquina), são capazes de criar vozes com timbres e entonações realistas em várias línguas a partir de qualquer texto. De olho nessa tendência, empresas de todos os setores estão implementando esse recurso na maneira em que interagem com seus clientes, parceiros e colaboradores, o que promete transformar para sempre a relação entre comunicação humana e máquina.

Neste cenário, a Prime Arte, produtora de conteúdo e tecnologia, alia soluções tecnológicas aos setores de marketing, endomarketing e comunicação interna de grandes empresas, aplicando em todas as suas produções de vídeo os serviços cognitivos de voz, com roteiros personalizados para cada cliente, a fim de criar agilidade nos projetos e promover a redução de custos. O que antes era um processo demorado, burocrático e caro, já que demandava a mobilização de toda uma equipe de produção nos trâmites com os locutores até a versão final de um filme, agora se torna rápido e acessível com a conversão de texto em vozes neurais.

De acordo com Leandro Alvarenga, CEO da Prime Arte, a utilização das vozes neurais, mesmo em seus passos iniciais, já facilita a produção de conteúdo, pois posiciona o foco do time de desenvolvimento na melhoria da experiência dos usuários sem um alto investimento em machine learning. “A quantidade de processos e custos para introduzir a locução em um vídeo sempre foi excessiva. O surgimento dos serviços cognitivos ajuda não apenas a reduzir esses gastos operacionais, como também facilita a assistência, pois a produção tem mais autonomia e rapidez na mudança de roteiros, oferecendo exatamente o que o cliente está procurando, e isso fortalece seu vínculo com a marca e melhora sua experiência,” explica.

Para o executivo, existem novas oportunidades derivadas da vantagem em usar a inteligência artificial com vozes neurais, sobretudo na eficiência que o mercado de comunicação exige nos dias atuais. A estimativa é que nos próximos anos, mais e mais negócios sejam beneficiados por essa tecnologia, buscando otimizar e dar mais escala à produção de conteúdo. Alvarenga alerta, entretanto, que o foco é melhorar os processos e reduzir custos e não substituir os profissionais da voz.

“Outro ponto a salientar, é que muitas vezes os clientes desistem de colocar o conteúdo produzido em outros idiomas por falta de orçamento ou até mesmo tempo, porém, com a vozes neurais essa barreira é minimizada. Essas soluções estão conquistando o seu espaço no mercado e ainda será necessário muito desenvolvimento e melhorias constantes no produto, mesmo assim, hoje já é um grande diferencial competitivo para os desafios da comunicação.”, finaliza.

Link
Notícias Relacionadas »